Emissoras de TV fechariam sem dinheiro de igrejas

Emissoras de TV fechariam sem dinheiro de igrejas

O jornalista Ricardo Feltrin, em sua coluna no UOL, publicou um artigo de opinião intitulado “Sem dinheiro de igrejas, Record, Band e RedeTV! não fechariam orçamento”. O texto afirma a dependência de várias emissoras da TV aberta ao financiamento para a exibição de programas religiosos de igrejas evangélicas. 

“Os orçamentos de Record, Band e RedeTV! (e Gazeta, em SP) hoje dependem das igrejas quase que como estas dependem de seus fiéis”, disse o autor, que fez críticas à legislação brasileira acerca de mídia.

Feltrin afirma que não existe uma legislação totalmente clara e específica acerca da venda de horários para veiculação de programas religiosos, independentemente do nível de seriedade e confiabilidade do contratante.

Ao mesmo tempo, Ricardo defende que existe uma dependência de várias emissoras com relação ao financiamento e pagamento feito para as exibições. “É um dinheiro sagrado (com trocadilho)”, afirmou o articulista.

Os dados são baseados em informações já divulgadas pelo jornalista. Uma delas é de que 30% do faturamento da Record vem do pagamento de horários pela Igreja Universal do Reino de Deus (IURD).

Ricardo estima que cerca de 33% do faturamento do Grupo Band também venha de igrejas e, por fim, disse que a estimativa é que 35% dos 400 milhões previstos de lucro para a Rede TV seja de origem religiosa.

Marcelo de Carvalho, o vice-presidente da RedeTV!, admitiu a dificuldade e “discrepâncias” do mercado nacional publicitário. “Além disso vamos deixar claro que só existe programação religiosa porque há público para assistir”, afirmou.